Aprenda a InvestirCentral de AjudaDemonstração Winny
Notícias de qualidade
WinNews
Atualize-se
Confira a nova seção de notícias da WinTrade, lá você encontra reportagens especiais, artigos, agenda da semana e muito mais!
Clique e confira
Opções

O Aluguel de Ações é uma ótima estratégia para garantir renda extra na Bolsa de Valores. Ele funciona de maneira muito similar ao aluguel convencional de imóveis, e é indicado, especialmente, para o investidor de longo prazo, que possui ações e não pretende se desfazer delas tão cedo. É bem simples. De um lado, o doador, dono da carteira, empresta suas ações em troca de uma taxa pré-determinada. Do outro, o tomador, investidor que toma emprestado as ações, ganha o direito de negociá-las no mercado, com o compromisso de devolvê-las em um prazo estipulado. Normalmente, o tomador é aquele que acredita na queda das ações, assim, ele as aluga, vende e compra de volta por um preço menor, embolsando a diferença. Dessa forma, a operação pode ser vantajosa para ambas partes!

TOMADOR
Perfil do Investidor Moderado, investidor com propensão média ao risco.
Capital mínimo necessário Não há, desde que o cliente adquira a quantidade mínima de um lote padrão do papel (não fechamos contrato de BTC para fracionário).
Risco Alto - Esta operação coloca em risco o patrimônio do cliente, que depende das condições do mercado.
Retorno Tomador é aquele que toma emprestado ações, na expectativa de que o preço delas caia. Assim, ele vende as ações para comprá-las de volta por um valor mais baixo, ganhando com a diferença.
IR
  • 15% sobre o lucro para vendas mensais acima de R$ 20 mil
  • 20% sobre o lucro para operações day trade (compra e venda no mesmo dia)
Vantagens Ganha mesmo em um mercado com viés de baixa.
Custos*
  • Taxa de corretagem:
    Execução pela plataforma Winny:
    R$20,00 por ordem
    Execução pela Mesa de Operações:
    R$ 40,00 ou 0,25% do volume financeiro da ordem.
  • Taxa de Liquidação:
    0,0275%
  • Emolumentos:
    0,005%
  • Emolumentos do Contrato:
    De 0,25% a.a., com mínimo de R$ 10,00, sobre o volume financeiro do contrato.
  • Comissão Win:
    20% da taxa, mínimo de 0,05%
    Taxa: varia conforme o ativo alugado – consultar mesa de operações
*ISS: 5% sobre o preço da corretagem
Como investir A margem para alugar um papel é de 150% do valor da operação. Podendo ser papel de 1ª primeira linha ou dinheiro.

Serão permitidos alugueis com quantidade mínima de 100 ações.

No caso de anúncio e pagamento de proventos durante a vigência do contrato, o tomador receberá o benefício e terá que repassar ao doador, pois todos os proventos são sempre de direito do dono do papel.
Preço do Contrato Consulte valores de referência em www.bmfbovespa.com.br
Para saber a taxa do dia, entre em contato com nossa mesa de operações

DOADOR
Perfil do Investidor Conservador, investidor com pouca propensão ao risco.
Investimento mínimo inicial Não há. O pré-requisito é que o investidor possua ações para o aluguel.
Risco Baixo - A CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) garante a devolução das ações ao doador.
Retorno Taxa: varia conforme o ativo alugado – Consultar mesa de operações
A taxa cobrada pelo empréstimo definida pelo doador, multiplicada pelo volume financeiro + proventos como dividendos e bonificações + possível valorização das ações no mercado.
IR Quanto mais tempo as ações ficam em oferta, menos imposto o doador paga, já que a tributação é regressiva, conforme abaixo:
  • 22.5% - doações com prazo de até 180 dias
  • 20.0% - doações com prazo de 181 até 360 dias
  • 17.5% - doações com prazo de 361 até 720 dias
  • 15.0% - doações com prazo acima de 721 dias
Vantagens
  • Maior rentabilidade da carteira, sem que as ações sejam vendidas;
  • Baixo risco, pois as operações são garantidas pela CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia);
  • Os proventos são pagos ao doador durante o período do aluguel;
  • Além da remuneração do aluguel, o doador recebe um incentivo de 0,05%a.a. sobre o volume financeiro do empréstimo.
Custos Comissão Win: 20% da taxa, mínimo de 0,05%
Como investir Para doar ações é preciso entrar em contato com a mesa de atendimento.

(fonte BM&FBovespa)

  • Como faço para realizar uma operação de empréstimo?

    O primeiro passo é contratar o serviço de empréstimo de ativos de um intermediário, que pode ser uma corretora, distribuidora ou agente de custódia. Através do intermediário, o participante informa quais os ativos que deseja emprestar/tomar emprestado. As ordens, tanto para tomar emprestado como para emprestar os ativos, são sempre transmitidas pelo intermediário para a BM&FBOVESPA.

  • Como posso obter informações sobre as taxas praticadas pelo mercado e quais são os ativos mais negociados nas operações de empréstimo?

    A BM&FBovespa disponibiliza informações e consultas diariamente:
    - Posições em Aberto: mostra o estoque total de ativos transacionados, permitindo aos usuários acompanhar a evolução diária das ofertas disponibilizadas por ativo, e fazer consultas retroativas.

    - Empréstimos registrados: traz o somatório das operações de cada um dos ativos nos últimos três dias. É um importante recurso para os investidores acompanharem e identificarem tendências do mercado. São apresentados dados sobre número de contratos, quantidade de ativos, volume financeiro emprestado e as taxas médias (anualizadas) recebidas pelos doadores e as pagas pelos tomadores (note que as taxas dos tomadores são maiores, pois incluem também a comissão que pagam para as corretoras).

  • Todas as ações negociadas no segmento Bovespa podem ser objeto de operação de empréstimo?

    Sim. No entanto, existem limites máximos, definidos pela legislação, para o volume de ativos emprestados e para o percentual de garantia exigido.

  • Existe um prazo mínimo e máximo para as operações de empréstimo?

    Existe apenas prazo mínimo, que é de um dia.

  • Existe taxa fixa para remuneração do doador?

    Não. As taxas são livremente pactuadas entre o doador e o tomador. O sistema BTC acompanha as taxas registradas e pode excluir aquelas que apresentem variações significativas em relação às taxas normalmente praticadas no mercado para um determinado período ou ativo.

  • No caso de empréstimo de ação com direito a voto, quem passa a deter o direito?

    Durante a vigência do empréstimo, é o tomador —caso o mesmo não tenha vendido à vista as ações objeto do empréstimo— que passa a deter o direito de participação em assembleia e voto. É importante observar que no registro das operações de empréstimo as ações são transferidas para a titularidade do tomador, ou seja, pertencem ao tomador até final do empréstimo.

  • O doador corre o risco de não receber os ativos de volta no vencimento?

    Não existe operação financeira sem risco. No entanto, para assegurar que o doador receba os ativos emprestados mais as taxas de remuneração do empréstimo na data do vencimento, o BTC realiza:
    - Recálculo diário das necessidades de garantia e quando necessário exige que o tomador as deposite na BM&FBOVESPA (chamada de garantias).
    - Execução de garantias do tomador, quando necessário.
    - Emissão de uma ordem de compra para que os ativos devidos ao doador sejam comprados no mercado.
    - Aplicação de multa de 0.2% ao dia no caso de atraso na entrega.

    Adicionalmente, o tomador será responsável por remunerar o doador com o dobro da taxa originalmente contratada, até a data da efetiva devolução dos ativos.

  • Quais são os custos das operações de empréstimo de ativos?

    O tomador deve pagar a remuneração devida ao doador, a comissão da corretora e a taxa de registro da BM&FBOVESPA (0,25% a.a.) sendo o mínimo de R$ 10,00. No caso de empréstimos compulsórios, fechados automaticamente pelo sistema BTC para o tratamento de falhas do mercado à vista, a taxa de registro da BM&FBOVESPA será de 0,50% a.a. e não há mínimo.

    A BM&FBOVESPA não cobra tarifa do doador (aquele que empresta seus ativos), mas as corretoras podem cobrar taxas do mesmo, dependendo da política de tarifação de cada instituição.

  • As operações de empréstimo são tributáveis?

    Para o doador há incidência de imposto de renda na fonte sobre o rendimento da operação de empréstimo, tratada como uma operação de renda fixa. As alíquotas aplicadas são:
    - Pessoa física e jurídica:
    Até 180 dias - 22,5%
    De 181 a 360 dias - 20%
    De 361 a 720 dias - 17,5%
    Acima de 720 dias - 15%
    Investidor estrangeiro - 15%
    Paraíso Fiscal - 25%
    Instituição financeira – isento

    Para o tomador, o custo da operação de empréstimo pode ser incorporado ao custo da operação subsequente.

  • Quando o doador recebe a remuneração paga pelo tomador? Qual é a base de cálculo?

    A data em que os rendimentos deverão ser debitados do tomador e creditados ao doador é fixada no fechamento da operação de empréstimo. Lembre-se: só existe prazo mínimo de um dia para as operações, outros períodos podem ser fixados livremente entre as partes (mais de um dia, semanal, mensal etc.). A base de cálculo do rendimento também é estabelecida no registro da operação, podendo ser a cotação média do dia anterior ao registro da operação de empréstimo ou a cotação média do dia anterior do vencimento da operação.

  • Em que situação as garantias depositadas pelo tomador podem ser executadas?

    Caso o tomador não honre uma chamada de margem adicional ou não liquide a operação de empréstimo no vencimento (devolução dos ativos emprestados e pagamento da taxa devida ao doador, à corretora e à BM&FBOVESPA).

  • O doador pode solicitar a devolução de seus ativos antes do vencimento das operações de empréstimo?

    Só se no momento de inserir a oferta o doador tiver optado pela possibilidade de solicitar os ativos antes do vencimento acordado. Nestes casos, o tomador terá um prazo de três dias úteis após a data da solicitação (D+4) feita pelo doador para realizar a devolução dos ativos objeto do contrato de empréstimo.

  • É possível renovar um contrato de BTC?

    No fechamento das operações de empréstimo existe a opção de renovação do contrato. Apenas os contratos deste tipo são passíveis de renovação, que poderá ser solicitada tanto pelo tomador, quanto pelo doador. Para que os contratos de empréstimo sejam renovados é necessária a manifestação da contraparte do solicitante, que poderá rejeitar ou aprovar.

  • O doador tem direito aos proventos emitidos pela companhia?

    Formalmente, no empréstimo, o doador deixa de ser o titular dos ativos e não recebe o provento da companhia. No entanto, o sistema BTC se encarrega de reembolsar o doador na mesma data e no mesmo montante, como se os ativos ainda estivessem custodiados em seu nome. Isso é, faz um crédito financeiro correspondente ao provento já ajustado às suas condições fiscais na data estipulada pela companhia emissora. Por outro lado, o sistema BTC debita o tomador nas mesmas bases (montante financeiro e data). Note que os valores distribuídos pela companhia emissora reembolsados ao doador são considerados restituição do valor emprestado originalmente, e não rendimento, portanto não são tributados.

    No caso de um provento em ativos (bonificação, grupamento etc.), o investidor doador recebe os ativos-objeto do empréstimo com as quantidades ajustadas.

    Se houver opção de subscrição no período de empréstimo, o sistema BTC garante ao doador a possibilidade de subscrever as ações a que tem direito sob as mesmas condições que teria caso estivesse com as ações em custódia (valores financeiros e datas). É Importante ressaltar que durante o empréstimo, pelo fato do doador deixar de ser acionista formal da companhia, os direitos de subscrição não serão gerados em sua conta de custódia. Caberá ao tomador optar em devolver os direitos ou recibos de subscrição ou ações correspondentes à subscrição. No caso do recibo de subscrição ou novas ações o doador arcará com os custos relativos à subscrição.

  • Como eu calculo os valores financeiros do contrato?

    O cálculo dos valores financeiros do contrato de empréstimo pode ser dividido em duas partes: o volume financeiro do contrato e o fator da taxa carregada ao período.

    O volume financeiro é representado pelo produto simples entre a quantidade de ativos emprestados e a cotação utilizada no contrato.

    O fator da taxa precisa ser transformado de uma base anual para o período em que o empréstimo esteve vigente (utilizada a base de 252 dias úteis). No Empréstimo de Ativos as taxas são sempre apresentadas em base anual.

    O cálculo da remuneração financeira é definido por:

    Cálculo da Remuneração Financeira
    RD = remuneração ao doador.
    Q = quantidade de ativos emprestados.
    C = cotação utilizada para o empréstimo.
    i = taxa anual de remuneração definida pelo doador.
    du = dias úteis em que o empréstimo esteve vigente.

    O tomador do empréstimo paga para cada operação uma taxa de registro para a BM&FBOVESPA. Essa taxa de registro varia com o tipo de contrato. Para empréstimos fechados voluntariamente a taxa de registro é de 0,25% a.a. sobre o volume da operação, observando um mínimo de R$ 10,00. No caso de empréstimos compulsórios, fechados automaticamente pelo sistema BTC para o tratamento de falhas, a taxa de registro é de 0,50% a.a., sem um valor mínimo em reais.

    O contrato de empréstimo permite que as instituições que realizam a intermediação da operação adicionem comissões.



Acompanhe tudo o que rola de novo na WinTrade.
Gostou? Divida essa experiência com seus amigos.
Sua opinião é muito importante! Diga o que achou da página da WinTrade e dê sugestões.
Avalie esta página
X
Gostaríamos de ouvir seus comentários. Qual sua opinião sobre esta página?

Ótima
Boa
Regular
Ruim
Comentário: Enviar